destaque.fw

Temporal causa alagamentos e provoca transtornos na Baixada Santista

As fortes chuvas que atingiram a Baixada Santista, no litoral de São Paulo, na madrugada desta segunda-feira (4), causaram transtornos e diversos pontos de alagamento na região. Várias ocorrências foram registradas nas cidades mas, não há informações de feridos. Em Peruíbe, moradores chegaram a ficar desalojados e, em Cubatão, o Rio Pilões transbordou e moradores tiveram que deixar as casas. Os ônibus intermunicipais e VLT deixaram de circular por conta da chuva. As estradas que dão acesso à região também sofreram interdições.

Segundo a Defesa Civil de Santos, entre meia noite e 3h foram 220mm, agravada ainda pela maré alta. Nas últimas 72h, o acumulado foi de 235,9 mm. O valor corresponde a mais da metade do esperado para todo o mês de fevereiro. Ninguém se feriu durante o temporal na Cidade.

Árvore cai e estoura cano no Marapé, em Santos — Foto: Carlos Abelha/G1
Árvore cai e estoura cano no Marapé, em Santos — Foto: Carlos Abelha/G1

Até o momento, há registro de dez pontos de escorregamentos nos morros da cidade, como São Bento e Nova Cintra, e também no Marapé. A queda de uma árvore acabou estourando um cano na Rua Antonio Bento de Amorim. A via teve de ser interditada e o Corpo de Bombeiros foi acionado.

A CET de Santos ainda informou que a Avenida Martins Fontes, na saída de Santos, ficou completamente alagada por volta das 7h. Nem mesmo os ônibus passavam pelo local. A interdição ocorre a partir da Praça dos Andradas. As vias do Cais também ficaram alagadas (Retão da Alemoa e acesso ao viaduto).

A Avenida Nossa Senhora de Fátima, na entrada de Santos, também ficou cheia de água nos dois sentidos. Os pontos de alagamento são as vias Ana Santos, Afonsina Proost de Souza e Martins Fontes. A partir da Boris Kaufman, a CET já realizou bloqueio. A única alternativa garantida para movimentação entre Santos e São Vicente era a praia. O acesso à São Paulo (via Cais) foi liberado para para veículos de pequeno porte. Porém os veículos passam lentamente pelo trecho.

Árvore caiu e bloqueou o morro da Nova Cintra, em Santos — Foto: G1 Santos
Árvore caiu e bloqueou o morro da Nova Cintra, em Santos — Foto: G1 Santos

A Viação Piracicabana informou que, no sistema municipal de Santos, as linhas 29 e 42 estão operando normalmente. As demais linhas estão aguardando a água reduzir. A BR Mobilidade Baixada Santista informou que, por conta da forte chuva ficou com a operação dos ônibus intermunicipais inoperante. O VLT está aguardando a liberação da Defesa Civil para voltar a operar, devido à queda de uma barreira próxima ao túnel.

A laje de um prédio cedeu, derrubou um poste e destruiu o encanamento na rua Sebastião Arantes Nogueira, no José Menino. Quatro carros foram atingidos, mas ninguém ficou ferido.

Aslfalto cedeu na rua Paraná, em frente a um prédio em obras, em Santos — Foto: Adriana Cutino/G1
Aslfalto cedeu na rua Paraná, em frente a um prédio em obras, em Santos — Foto: Adriana Cutino/G1

O asfalto cedeu na rua Paraná, na Vila Mathias, em frente a um prédio em obras, onde será a nova unidade da Unimed. A Defesa Civil também foi para o local avaliar a situação da obra e a via, que está cheia de rachaduras. Já na Zona Noroeste, o canal da avenida Jovino de Melo ficou muito cheio e as vias foram tomadas pela água da chuva.

Canal e avenida, na Zona Noroeste de Santos, foram tomados pela água da chuva. — Foto: Gabriel Souza
Canal e avenida, na Zona Noroeste de Santos, foram tomados pela água da chuva. — Foto: Gabriel Souza

São Vicente
A Prefeitura de São Vicente, por meio da Defesa Civil do Município, informou o índice acumulado de chuvas nas últimas 72 horas foi de 236 mm. A maré, de acordo com os cálculos da Defesa Civil, chegou a 2,5 metros. A Cidade está em estado de atenção.

Há registros de queda de duas de árvores, uma em frente ao Fórum, na Rua Jacob Emmerich, e outra na Rua Newton Prado, que está interditada. Equipes da Secretaria de Desenvolvimento e Obras já estão nos locais para realizar a remoção.

De acordo com a Secretaria de Trânsito e Transportes (Setrans), foi registrada a queda de um muro na Avenida Getúlio Vargas. O material já foi recolhido e o trânsito está fluindo normalmente no local.

No bairro Jóquei Clube, várias ruas foram tomadas pela chuva. Um carro que estava estacionado na rua foi coberto pela pela água. Já na Área Continental de São Vicente, várias ruas ficaram alagadas e muita gente ficou esperando os ônibus intermunicipais que não trafegaram na manhã desta segunda-feira.

Carro é coberto pela água no bairro Jóquei Clube, em São Vicente — Foto: G1 Santos
Carro é coberto pela água no bairro Jóquei Clube, em São Vicente — Foto: G1 Santos

Mongaguá
De acordo com a Prefeitura de Mongaguá, a precipitação acumulada das últimas 24 horas é de 112,09 mm, volume quase dez vezes maior do que o considerado normal pelas autoridades. Com isso, o município foi inserido no estado de atenção.

Pontos de alagamento foram registrados em alguns bairros. Os sistemas de drenagem apresentam boa absorção das águas. Porém, em alguns locais o escoamento ainda demora, em virtude da maré alta. A Defesa Civil atende ocorrências nas ruas Marcelino Rodrigues de Meira e Humberto Tórtora, em Agenor de Campos, e na Adrião Dias, no Jussara.

Durante a madrugada, na região central da cidade, uma árvore com grandes proporções tombou sobre a calçada e atingiu a fiação. A Defesa Civil e Guarda Civil Municipal (GCM) estiveram no local e isolaram a área. Depois, houve o processo de remoção da espécie.

Itanhaém
Em Itanhaém, a Defesa Civil, choveu 235 mm nas últimas horas. De acordo com a Prefeitura de Itanhaém, não houve quedas de árvores e existem alguns pontos de alagamento nos bairros Raminho, Coronel, Cibratel II e Estrada do Raminho, porém a água já está escoando.

Peruíbe
Os moradores de Peruíbe também viveram momentos de caos após o temporal atingir a cidade. O bairro Caraguava foi o mais atingido e está completamente alagado. A população segue ilhada e o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil estão trabalhando para resgatar essas pessoas utilizando barcos.

Mesmo após a chuva parar, a maré segue cheia. Segundo a Defesa Civil de Peruíbe, oito famílias ficaram desalojadas e foram encaminhadas para um alojamento na sede da Defesa Civil, que fica no bairro Vila Peruíbe. Segundo o Centro Nacional de Monitoramento de Desastres Naturais, choveu 212 mm nas últimas 24h.

A Defesa Civil ainda informou que a forte chuva que atingiu o município causou alagamentos nos bairros Caraguava, Jardim das Flores, Ribamar, Arpoador II e São João Batista II. Os alagamentos atingiram as vias públicas, algumas com interdição parcial e total.

Morador em Pilões, em Cubatão, tenta passar pela rua totalmente alagada — Foto: Arquivo Pessoal
Morador em Pilões, em Cubatão, tenta passar pela rua totalmente alagada — Foto: Arquivo Pessoal

Cubatão
Em Cubatão, a sirene do bairro Pilões tocou por volta das 2h30 para alertar os moradores sobre o aumento do nível do Rio Pilões, que transbordou. As pessoas tiveram que deixaram suas casas e foram acolhidas por outros moradores. O nível do rio baixou, mas há alagamentos em vários pontos da Cidade. Nas últimas 24 horas choveu cerca de 164 mm em Cubatão.

De acordo com a Prefeitura, houve inundação no Caminho dos Pilões e a água invadiu casas. Técnicos da Defesa Civil estão neste momento vistoriando o local. A Defesa Civil informou ainda que não há comportas a serem abertas no Rio Pilões.

Houve o registro de pontos de alagamentos em vários bairros da cidade como Vila Nova, Jardim Casqueiro, Jardim Costa e Silva, Vila São José, entre outros, porém a Defesa Civil ainda contabiliza os prejuízos. A Defesa Civil também informou que seu corpo técnico funciona por completo que o aviso de chuvas e tempestades já havia sido enviado pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil.

De acordo com a Companhia Municipal de Trânsito, CMT, o sistema público de transporte opera com apenas 24 ônibus neste momento, além do transporte alternativo.

Situação do bairro Água Fria, na manhã desta segunda-feira, em Cubatão — Foto: Carol Santos/Arquivo Pessoal
Situação do bairro Água Fria, na manhã desta segunda-feira, em Cubatão — Foto: Carol Santos/Arquivo Pessoal

Praia Grande
A Defesa Civil de Praia Grande informou que o volume de chuvas durante a madrugada foi de 125 mm. Pontos de possíveis acúmulo de água estão sendo escoados pelo sistema de drenagem sem problemas. Seis semáforos apresentaram mau funcionamento durante a madrugada e foram acompanhados por agentes da Secretaria de Trânsito.

Bertioga
Em Bertioga, a Defesa Civil informou que o bairro Chácara Vista Linda está com vários pontos de alagamentos. A água também invadiu a casa de vários moradores.

Bairro Chácara Vista Linda foi um dos mais afetados de Bertioga, SP — Foto: G1 Santos
Bairro Chácara Vista Linda foi um dos mais afetados de Bertioga, SP — Foto: G1 Santos

Estradas
A situação das estradas também se complicou nesta madrugada, segundo informações da Ecovias, concessionária que administra o Sistema Anchieta-Imigrantes. Os motoristas devem ficar atentos às interdições e pontos de alagamento. Alguns trechos devem ser evitados.

A Via Anchieta está com tráfego lento, no sentido litoral, entre o Km 59 e 60. Já as Pista Central Sul e Norte da Anchieta também estão bloqueadas entre o km 13 e km 10. Ambas por conta de alagamento. Os caminhões com destino a São Paulo devem acessar, obrigatoriamente, o trecho de serra da via Anchieta.

A alça de acesso da Anchieta para Padre Manoel da Nóbrega, no Km 54, também está bloqueada, devido à alagamento. Pelo mesmo motivo, o tráfego está desviado no Km 271 da Padre Manoel para o anel viário. Ainda na Padre Manoel, no sentido Praia Grande, o tráfego foi bloqueado no Km 273.

O tráfego segue lento também na Cônego Domênico, sentido Guarujá, entre o Km 255 e Km 254, devido queda de barreira. O trânsito dos veículos acontece somente pela faixa da direita.

Balsas
A travessia entre Santos e Guarujá opera com cinco embarcações, com tempo de espera de 15 minutos em Santos e 20 minutos em Guarujá. Na travessia entre Guarujá e Bertioga, há uma embarcação operando, sendo que os motoristas aguardam 30 minutos tanto em Guarujá como em Bertioga para embarcar na balsa.

Já a travessia de barcas, duas embarcações estão operando e os pedestres aguardam 20 minutos tanto em Santos como em Vicente de Carvalho.

Via: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *